Terça, 23 de Julho de 2024
22°C 30°C
Macau, RN
Publicidade

Reino Unido: A libertação de Assange representa um grande impulso para a liberdade de expressão

A decisão deverá permitir que o sujeito de um dos processos mais exagerados da história desfrute de uma vida normal pela primeira vez em 14 anos, incluindo os 1.901 dias que passou na prisão.

25/06/2024 às 10h03
Por: adrovando Fonte: Federação Internacional dos Jornalistas - FIJ
Compartilhe:
Reino Unido: A libertação de Assange representa um grande impulso para a liberdade de expressão

A Federação Internacional de Jornalistas (FIJ) saúda a libertação de Julian Assange em 24 de junho como uma vitória significativa para a liberdade dos meios de comunicação social. A retirada de 17 das 18 acusações que enfrentou impede a criminalização de práticas jornalísticas comuns, tais como encorajar fontes a partilharem confidencialmente provas de irregularidades e criminalidade.

A decisão deverá permitir que o sujeito de um dos processos mais exagerados da história desfrute de uma vida normal pela primeira vez em 14 anos, incluindo os 1.901 dias que passou na prisão.

A FIJ tem feito campanha pela libertação de Assange desde a publicação das acusações dos EUA contra ele em 2019. Um observador da FIJ assistiu todos os dias às suas audiências de extradição, fornecendo relatórios e comentários sobre o processo. Em 18 de junho de 2024, o Comité Executivo da FIJ organizou um protesto em frente ao HMP Belmarsh, no Reino Unido, onde Assange estava detido. Este foi provavelmente o último protesto no caso do fundador do Wikileaks.

O presidente da FIJ, Dominique Pradalié, disse: "Julian Assange foi libertado. Esta é uma vitória para o direito de informar e de ser informado. É uma vitória para jornalistas de todo o mundo."

O secretário-geral da FIJ, Anthony Bellanger, acrescentou: "A tentativa de acusação de Julian Assange lança uma sombra negra sobre os jornalistas, particularmente aqueles que cobrem questões de segurança nacional. Se Assange tivesse ido para a prisão para o resto da vida, qualquer repórter que recebesse um documento confidencial temeria enfrentar um destino semelhante.

O acordo judicial de Assange reduz substancialmente essa ameaça, “embora mais de 500 jornalistas permaneçam na prisão em todo o mundo”, observa a FIJ.

Lenium - Criar site de notícias